Jogamos

Unfair Jousting Fair (PC) é divertido, mas cansa rápido

Com visual cativante, o jogo peca pela falta de variedade e repetitividade.

Jogos, em geral, possuem alguma pretensão durante seu desenvolvimento. Enquanto alguns buscam imersão total do jogador em suas histórias, outros focam na competitividade do multiplayer para atrair seu público-alvo. Em Unfair Jousting Fair, o foco está em dar várias risadas ao lado de amigos, enquanto se tenta vencer as rápidas partidas do jogo.


Em Unfair Jousting Fair, não existe uma história, apenas uma ideia do que está acontecendo: em uma feira com temática medieval, um grupo de pessoas lutam em um torneio de justas. A diferença é que saem os cavalos e entram os monociclos. Em vez de lanças enormes, temos ancinhos, rolos de massa, remos e diversos outros itens completamente absurdos. Mas é toda essa falta de noção que faz de Unfair Jousting Fair um jogo casual bastante divertido.

Lado a lado

Logo ao iniciar a primeira partida, o jogador perceberá que não existe uma opção singleplayer. O único modo de jogo está na disputa local entre dois jogadores, com uso do teclado ou de joyticks; ou seja, está na hora de abandonar os headsets e trazer aquela velha galera de volta pra casa.

A jogabilidade é bem simples, mas requer certo domínio da sensibilidade das teclas. Mesmo com apenas o uso do teclado, é possível que a dupla jogue tranquilamente, pois um controla utilizando as teclas WASD e espaço, enquanto o outro fica com as setas e utiliza o Enter para confirmar as escolhas. Os comandos horizontais servem para fazer o monociclo andar para a frente e para trás, e as verticais controlam a angulação da arma. Esse aspecto é bastante importante, pois permite que armas de curto alcance, como guarda-chuvas, resistam contra remos, por exemplo.

As partidas podem ser de três ou cinco rodadas, com o vencedor sendo declarado aquele que primeiro atingir o determinado número de vitórias. É praticamente impossível não levar vários tombos enquanto se joga, pois qualquer pressão excessiva em alguma tecla pode jogar seu personagem diretamente para o chão e encerrar a rodada. A sensibilidade dos controles pode ser controlada através da escolha entre quatro níveis de dificuldade: original, fácil, normal e difícil. Dentre todos, a dificuldade original foi a que mais me causou frustração, já que qualquer movimento em falso podia levar a uma derrota. 

Design alegre e cativante

Tanto os personagens como os cenários possuem um visual bastante divertido, com cores fortes e traço um pouco irreal, lembrando bastante Happy Wheels, jogo em que a comunidade é capaz de construir um grande número de atrocidades. O cenário é sempre o mesmo, mas varia com a troca de alguns itens de plano de fundo com o passar das partidas, além de alterações entre dia e noite, mas nada que interfira na jogabilidade. 

Infelizmente, com poucos minutos se apresenta o primeiro dos defeitos de Unfair Jousting Fair: existem apenas cinco personagens selecionáveis e não há distinção de jogabilidade entre eles, o que acaba deixando a experiência bastante limitada com o passar do tempo. O número de armas é satisfatório e rende combates empolgantes e desastrados na medida certa, mas seria interessante possuir mais algumas variantes para as partidas. Existem desbloqueáveis que são liberados a medida que mais partidas são vencidas, o que adiciona ao jogo novas armas e itens que podem atrapalhar os combates, como rampas de skate.

O som do jogo também não contribui para uma grande longevidade, pois as músicas se tornam repetitivas rapidamente. Apesar disso, elas possuem qualidade e integram bem o clima das partidas.

Divertido, mas na quantidade certa

Para aproveitar Unfair Jousting Fair ao máximo é indicado que mais de um amigo esteja disposto a jogar, para que exista variedade entre os jogadores e até mesmo pequenos campeonatos possam ser organizados. Dessa forma, será empolgante rir dos desastres alheios enquanto tenta melhorar sua própria habilidade. A velocidade das partidas influencia para isso, pois chegar a meros vinte segundos em cima do monociclo pode ser desafiante.

Contudo, jogar em excesso causa cansaço com poucos minutos, já que mesmo os desbloqueáveis não geram uma variedade tão grande. Uma vantagem de ser 100% multiplayer local é que o dono do jogo jamais poderá treinar sozinho, permitindo que os outros jogadores também possam evoluir junto. Estendendo ao máximo sua premissa de ser um jogo casual, Unfair Jousting Fair consegue causar boas risadas e momentos divertidos entre amigos, desde que não se passe muito tempo com ele.

Prós

  • Jogabilidade fácil de aprender, mas difícil de dominar;
  • Visual cativante; 
  • Rende momentos hilários entre amigos.

Contras

  • Torna-se repetitivo rapidamente;
  • Pouca variedade de personagens e de cenário;
  • Apenas um modo de jogo.
Unfair Jousting Fair (PC) — Nota — 6,0
Revisão: Bruno Alves
Capa: Daniel Serezane
Hamlet Victor é formado em Jornalismo pela UNIFOR, comprador compulsivo de livros e possui um vício saudável por filmes de várias nacionalidades. Está sempre em busca de manter seu PC atualizado, o que quase nunca consegue. Gosta de jogar quase tudo, mas tem uma queda por FPS e RPGs.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais