Top 10

Melhores participações especiais em jogos de luta

Um dos chamativos mais interessantes em jogos de luta é convidar personagens de outras franquias para participações extras; vejamos algumas das mais famosas.

Na última semana tivemos a revelação que Akuma, famoso vilão da série Street Fighter, será um personagem jogável no vindouro Tekken 7. Aliás, não só jogável, como fará parte da história do jogo, em uma posição deveras importante, pelo que foi revelado até agora.

Aproveitando essa novidade, vamos então relembrar outros personagens que fizeram aparições especiais em jogos de luta. Claro que daria para fazer um top 100, pois o que não falta nesse mundo é gente se metendo em briga.

10 — Donkey Kong (Punch Out!!)

Punch-Out!! pode não ser exatamente um jogo de luta “tradicional”, mas é um título que fala sobre boxe no final das contas. Não deixa de ser um combate, não é?

Nesse mundo de pugilistas, a versão do Wii, lançada em 2009, trouxe um combatente inesperado. O peso-pesado Donkey Kong veio como desafiante encarar Little Mac.

Talvez isso funcione

09 — Ezio Auditore (Soul Calibur V)

O mais carismático de todos os protagonistas da série Assassin’s Creed sempre foi um assassino de renome, tendo enfrentando os mais diversos inimigos. Embora, em seu jogo de origem, suas habilidades de luta não fossem as mais refinadas — mecanicamente nunca foi um primor, embora tenha evoluído ao longo dos anos — em Soul Calibur V o assassino se tornou um bom guerreiro no combate um contra um.


08 — Earthworm Jim (ClayFighter 63 ⅓)

Aqui temos mais uma amostra de como os anos 1990 nos agraciaram com loucuras dos mais diversos tipos. Não que necessariamente todas tenham sido bem executadas, mas não podemos culpar os desenvolvedores de não tentarem.

ClayFighter, a série, nasceu em 1993 no SNES e MD, trazendo bonecos de argila para se baterem. Para criar os personagens, foram usados modelos reais feitos de massa e a técnica de stopmotion, dando um visual bem peculiar.

Em sua terceira edição, de 1997 para Nintendo 64, a Interplay, desenvolvedora do jogo, resolveu inserir na contenda seu personagem mais famoso, Jim. Tanto Earthworm Jim como ClayFighter sempre penderam para a comédia, o que tornou algo natural a junção das duas franquias. Mas mesmo assim, o jogo vale mais pela piada do que pela luta em si.


07 — Akuma (X-Men: Children of the Atom)

Akuma sempre foi um arroz de festa. Além de sua participação em Tekken 7, sempre aparece aqui e ali. No caso, falamos do primeiro jogo de luta protagonizado pelos pupilos do Professor Xavier.

Children of the Atom foi lançado em 1994 nos arcades, na lendária placa CPS2. Fez parte da época na qual a Capcom desenvolvia diversos bons jogos de luta. Com dez personagens selecionáveis, o jogo mostrava muitas qualidades e, acredito eu, seu sucesso abriu as portas para um dos meus jogos favoritos, X-Men VS Street Fighter.

Para jogar com Akuma, era necessário fazer um código na tela de seleção. Também era possível lutar contra ele, cumprindo certos requisitos durante o modo arcade.

Será que o Magneto aguenta a tela branca?

06 — Lars Alexandersson (Naruto Shippuden Ultimate Ninja Storm 2)

Vocês vão notar nessa lista que a Bandai Namco gosta bastante de misturar universos em seus jogos de luta. Esta, na minha opinião, é uma das mais inusitadas.

Lars apareceu pela primeira vez em Tekken 6, de 2007, como um dos personagens centrais da história do jogo, sendo filho de Heihachi. Três anos depois, alguém achou ser uma boa ideia colocá-lo no então mais recente jogo do Naruto. O visual de Lars foi até que bem adaptado, visto que são franquias bem diferentes no aspecto artístico.


05 - Kratos (Mortal Kombat 9)

O renascimento da série Mortal Kombat, em 2011, foi um bem mais do que necessário para revitalizar a franquia, que soube aproveitar muito bem a volta dos jogos de luta aos holofotes.

Nessa volta, a desenvolvedora NetherRealm aproveitou para colocar alguns personagens convidados — algo bem mais enfatizado em MK X (Multi). Na versão para PS3, tivemos a ilustre presença de Kratos, com toda sua delicadeza e cavalheirismo para com seus adversários, algo que combinou muito bem com o clima da franquia.


04 — Spartan-458 (Dead or Alive 4)

Já poderíamos colocar DoA nessta lista pela presença de Ryu Hayabusa, protagonista da série Ninja Gaiden. Mas aqui vamos abordar outra participação, bem mais específica. Falaremos da quarta edição do jogo, exclusiva de Xbox 360 e lançada em 2004. Nela tivemos como lutador jogável o soldado Spartan-458.

A princípio, a ideia da Tecmo, desenvolvedora da série, era usar o Master Chief. A Bungie, então responsável por Halo, não liberou o “mascote” do Xbox, mas gostou da ideia. Foi aí então que nasceu Nicole, uma supersoldada que participou do mesmo programa de treinamento de Master Chief e, de alguma forma, voltou no tempo, para a época em que ocorre Dead or Alive. Meio “viagem”, mas é bacana a iniciativa de dar um contexto para o personagem.


03 — Sakura (Rival Schools: United by Fate)

Tenho que admitir que sinto falta da Capcom dos anos 1990 e dos bons tempo que tínhamos jogos de luta às dúzias, dos mais variados tipos. Rival Schools é uma amostra desse bom tempo.

Lançado em 1997 para PlayStation, o foco era a luta entre alunos e professores (!!). Havia diversas high schools, o equivalente a nossas escolas de ensino médio. Cada uma delas era representada por seus melhores alunos na arte do combate. As lutas eram em duplas, seguindo a tendência criada por X-Men VS Street Fighter.

É nesse mundo que colegiais lutam pelo destino do mundo que temos a participação de Sakura Kasugano, vinda diretamente de Street Fighter Alpha 2. Lutando para se tornar forte o suficiente para ser notada por Ryu; a participação dela faz todo o sentido.


02 - Link (Soul Calibur II)

Muito antes de Hyrule Warriors (Wii U), Link já desceu a porrada em muita gente na versão de GameCube de Soul Calibur II, lançada em 2002. O guerreiro da roupa verde era um lutador muito bom e foi uma novidade bem comentada na época.

Vale dizer que as outras versões do jogo também tinham convidados exclusivos: Heihachi de Tekken no PS2 e Spawn, o herói dos quadrinhos, fazia as vezes no Xbox.


01 - Gon (Tekken 3)

Em nossa lista já passamos por minhocas mutantes, soldados de elite, colegiais, entre outros. Nada melhor então do que terminarmos com dinossauros. O jogo é Tekken 3, de 1996, para arcade e PlayStation.

Gon é um personagem de mangá, criado em 1991. Ele é um filhote e suas histórias geralmente giram de aventuras do pequeno réptil com outros animais. Tudo sem uma única linha de diálogo. Já tive a oportunidade de ler alguns volumes e vale a pena. Aqui no Brasil foi lançado pela Editora Conrad.

Voltando para o jogo, não há um motivo claro do porquê Gon está na luta. Ele simplesmente está lá para enfrentar qualquer um que fique em seu caminho.



Agora é sua vez, caro leitor. Quais outros encontros inusitados você se recorda? Da imensa lista de combatentes convidados, qual o seu preferido? Compartilhe conosco nos comentários!

Revisão: Vitor Tibério
Capa: Peterson Barros
Flávio Augusto Priori é formado em design de jogos e tenta ganhar a vida com esse negócio chamado video game. Para ele Metal Gear é a melhor série já feita e ainda acredita na volta da SEGA. Escrevia para o saudoso Minha Tia Joga LoL e hoje pode ser achado no Facebook e no Twitter.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais