Jogamos

Análise: Keep Talking and Nobody Explodes (PC) é uma experiência tensa e divertida

Uma bomba repleta de puzzles e um manual são os principais componentes desse ótimo party game.


Você está preso em uma sala e em cima de uma mesa tem uma bomba, que explodirá em poucos minutos. Sua única esperança é a ajuda de um especialista remoto, que lhe dá instruções de como desarmar os módulos do dispositivo. Será que você conseguirá sobreviver? Essa é a premissa de Keep Talking and Nobody Explodes, um interessante título de multiplayer cooperativo para PC cuja comunicação é a única maneira de se dar bem.

Resolvendo puzzles

Para jogar Keep Talking and Nobody Explodes, são necessários no mínimo dois jogadores. Um deles tem como tarefa desarmar a bomba, que tem vários módulos diferentes que precisam ser resolvidos. A outra pessoa é chamada de especialista e ela deve ler o manual que contém instruções de como desarmar cada módulo. Quem desarma o dispositivo explosivo não tem acesso ao manual e vice-versa, sendo assim, a única maneira de sair vivo dessa é por meio da cooperação. Para jogar, basta que os jogadores consigam se comunicar entre si, seja pessoalmente, seja pela internet. Também é possível jogar em grupos.


Cada módulo é um pequeno puzzle e exige a troca de informações entre os jogadores para ser resolvido. Um dispositivo, por exemplo, tem vários fios coloridos e para desativá-lo é necessário cortar alguns deles. O jogador que está desarmando a bomba fala informações como a quantidade de fios, suas cores e o número de série do explosivo; enquanto o especialista procura no manual as instruções para desativar esse dispositivo. Existe uma boa variedade de puzzles para resolver e a complexidade só aumenta conforme se avança no jogo.


Para deixar as coisas mais interessantes, todas as bombas são geradas de maneira aleatória, e os módulos também têm várias variações em suas resoluções. Cada estágio tem tempos de resolução e condições diferentes, além de várias outras surpresas. Sendo assim, cada partida é única. É um jogo bem acessível também: os controles são simples e o manual é fácil de acessar e ler — traduções para o português estão disponíveis na internet.


Assumindo diferentes papéis

Confesso que quando vi a premissa do jogo eu me perguntei se a experiência seria realmente divertida, principalmente para quem estava no papel de especialista — procurar e ler instruções em um manual não me pareceu algo realmente empolgante. Bastaram algumas poucas partidas para eu mudar de opinião rapidamente.

Jogar como desarmador de bomba é interessante. Você precisa descrever com cuidado o que está aparecendo na tela, o que nem sempre é uma tarefa fácil. O motivo disso é que muitos módulos têm coisas malucas ou complicadas de explicar, e às vezes é necessário investigar toda a bomba em busca de informações adicionais, como número de série, presença de portas e outros indicadores. Um dispositivo, por exemplo, consiste em botões que precisam ser acionados em sequência, mas eles têm caracteres estranhos. Sendo assim, é necessário criatividade para descrevê-los de tal maneira que a outra pessoa entenda e encontre as instruções.


Assumir o papel de especialista de desarmamento é complicado. Para se dar bem, você precisa ser bem rápido: é necessário encontrar o trecho correto no manual, ler as instruções com cuidado e informar os passos para o outro jogador. Para piorar, alguns módulos têm instrução de desarmamento bem complicadas ou malucas — Fios Complicados, por exemplo, envolve um diagrama difícil de entender no calor do momento. Para completar, o tempo é curto, logo velocidade é essencial — foram várias as vezes que me enrolei tentando entender as instruções que a bomba explodiu. Mas com o tempo você vai memorizando onde está cada trecho e as coisas ficam um pouco mais tranquilas.

Tensão e confusões

Isso tudo, somado ao fato do limite de tempo, torna Keep Talking and Nobody Explodes uma experiência bem divertida e única. No calor do momento, é muito comum acontecerem situações malucas como alguma explicação estranha, erros banais que resultam em risadas, desentendimentos e bombas desarmadas nos últimos segundos. Só tome cuidado ao escolher os companheiros: dependendo da pessoa, amizades ou relacionamentos podem ser destruídos por conta dos problemas de comunicação.
Espalhar o manual em uma mesa é uma maneira de deixar tudo mais eficiente
Com o tempo você vai pegando o jeito da coisa e a sinergia deixa as coisas mais ágeis — chegou um momento em que eu simplesmente falava o nome do módulo e meus parceiros encontravam rapidamente as instruções. Felizmente o jogo se adapta, deixando as coisas mais difíceis: os módulos ficam mais complicados e coisas acontecem na tela para atrapalhar quem está desarmando, entre outras atividades. Mas, mesmo assim, não conseguimos desarmar muitas bombas — a sinergia não foi suficiente para superar os desafios. Recomendo jogar com um grupo de amigos, sempre alternando os papéis, para deixar as partidas bem variadas.

Keep Talking and Nobody Explodes tem dois problemas. O primeiro deles tem a ver com a variedade de situações, pois a quantidade de módulos não é muito grande e chega um momento em que tudo é meio parecido — uma maneira de amenizar isso é jogar com muitas pessoas diferentes. A outra questão é o balanceamento: as bombas são geradas de forma aleatória, o que pode resultar em situações injustas. Em muitos momentos apareceu grande quantidade de módulos muito fáceis (como o de cortar fios), já em outros o explosivo estava repleto de dispositivos muito difíceis (como o de identificar um código morse).


Um multiplayer criativo e divertido

Keep Talking and Nobody Explodes é um excelente party game de comunicação. É muito divertido tentar desarmar bombas na companhia de amigos: prepare-se para confusões, momentos de tensão e muitos puzzles. O jogo pode se tornar meio repetitivo após algumas partidas, e a geração aleatória pode criar algumas bombas frustrantemente difíceis, mas tudo isso pode ser amenizado. Se procura algo acessível e perfeito para jogar com outras pessoas, não pense duas vezes: chame os amigos e tente sobreviver aos perigos de Keep Talking and Nobody Explodes.

Prós

  • Conceito único e interessante;
  • Fácil de entender e jogar;
  • Jogabilidade que incentiva comunicação e cooperação.

Contras

  • Geração aleatória de bombas é desbalanceada em alguns momentos;
  • Quantidade reduzida de módulos pode deixar a experiência meio repetitiva.
Keep Talking and Nobody Explodes — PC — Nota: 9.0
Revisão: Luigi Santana
Farley Santos é brasiliense e gosta de explorar games obscuros e pouco conhecidos. Fã de Yoko Shimomura e Motoi Sakuraba, é apreciador de boardgames, game music, fotografia, livros e animes. Além de mostrar seus cliques no Flickr, tem também um blog onde escreve sobre inúmeros assuntos.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais