Jogamos

Análise: Tango Fiesta (PC) homenageia o cinema testosterona dos anos 80

Quando tiros e explosões são mais importantes do que o diálogo.


O cinema da década de 1980 nos presenteou com ícones do gênero brucutu, foi neste período que Rambo, Rocky III, O Exterminador do Futuro, entre outros, invadiram as telonas. Apesar de o sucesso desses clássicos ter sido tão forte quanto seus protagonistas, atualmente, esse tipo de filme não é mais tão popular como foi há 20 anos. Entretanto, quem sente saudades dos tiroteios pode reviver toda a ação que marcou época em Tango Fiesta, lançado para PC, via Steam, no final de setembro.


Desenvolvido pelo estúdio Spilt Milk e distribuído pela Mastertronic, o jogo te coloca no papel de John Strong, típico herói que atira primeiro para depois perguntar. Assim como nos filmes, o roteiro do game é superficial e clichê, o que não chega a ser tão relevante, pois o que realmente importa é sair explodindo tudo e atirando em qualquer coisa que se mexe. A aventura começa quando a filha do presidente, que coincidentemente é namorada de Strong, é sequestrada, fazendo o fortão partir em busca de sua amada.
Tiros por todos os lados

Muitos personagens, uma história

É possível escolher entre seis personagens diferentes, cada um com habilidades e características únicas. Porém, independentemente de quem for o selecionado, a história será sempre a mesma e John Strong, o protagonista. As missões são bem básicas: ao chegar em cada cenário é mostrado o que deve ser destruído, e seu objetivo é simplesmente chegar até o ponto indicado e meter bala até a estrutura vir abaixo. Em determinadas fases, em vez de derrubar alguma casa ou torre, a obrigação é derrotar o boss.
São seis personagens jogáveis

Os elementos dos mapas são totalmente destrutíveis. Sua arma pode tirar do caminho desde pedras e grama, até prédios inteiros. Porém, sair sempre atirando não é uma boa ideia, pois usar as estruturas do cenário para se proteger do fogo inimigo é vital para completar sua tarefa. Ao derrubar os soldados rivais, eles deixam para trás itens, como kit médico para recuperar a vida do personagem ou barras de ouro usadas para compra de novas armas.

Strong e seus companheiros têm a disposição um verdadeiro arsenal, sendo que as armas mais fortes devem ser liberadas conforme a história vai avançando. Além do dinheiro para adquiri-las, é preciso cumprir certos objetivos durante as fases para ter acesso a todos os equipamentos.
Um arsenal de dar inveja

Não é uma missão solitária

A grande diversão de Tango Fiesta é jogar ao lado de amigos. Existe o modo multiplayer local e também o online, porém não consegui encontrar nenhuma seção aberta nos servidores para recrutar novos soldados para minha equipe. No total, até quatro pessoas podem se juntar a jogatina, e toda ajuda será válida, principalmente nas fases de boss, nas quais o grau de dificuldade é elevado. Tentar derrotar os chefes sozinho fará você morrer, e não serão poucas vezes.

Os controles colaboram para deixar o jogo ainda mais complicado. A disposição das teclas impossibilita, por exemplo, recarregar a arma e correr ao mesmo tempo. Como se já não fossem problemas suficientes, os inimigos são infinitos. Acabar com os vilões só fará com que uma quantidade ainda maior de combatentes apareça no mapa.
Ter companhia para explodir tudo deixa as coisas mais interessantes

Hasta la vista, baby

Quem estiver procurando por um jogo simples de ação, sem se importar com o fato de o enredo não ser elaborado ou profundo, Tango Fiesta é uma boa opção. A diversão do game está na possibilidade de sair explodindo o cenário e matando todo mundo ao lado de amigos. Os controles confusos não comprometem, mas vão atrapalhar em diversos momentos. A dificuldade é proporcional a temática, afinal, não poderia ser fácil se foi inspirado em filmes estrelados por Arnold Schwarzenegger e Sylvester Stallone. Para aqueles que têm saudades do cinema testosterona da década de 1980, Tango Fiesta é uma boa homenagem a esses tempos dourados.

Prós

  • Possibilidade de multiplayer local e online;
  • Ação frenética e ininterrupta;
  • Grande variedade de armas.

Contras

  • Controles dificultam a jogatina;
  • Missões muito pequenas e simples.
Tango Fiesta — PC — Nota: 6.0 
Revisão: Luigi Santana
Capa: Daniel Serezane
Vinicius Veloso é jornalista e obcecado por games (não necessariamente nessa ordem). Seu vício começou com uma primeira dose de Super Mario World e, desde então, não consegue mais ficar muito tempo sem se aventurar em um bom jogo. Está no Facebook ou Twitter.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais