Blast Test

NeuroVoider (PC) é divertido mesmo sem inovações

Melhore seu robô com as peças dos inimigos em partidas de até quatro jogadores.

NeuroVoider é mais um jogo indie com elementos do estilo roguelike, com fases aleatórias e morte permanente. Apesar do foco no multiplayer local, jogar sozinho também se provou bastante divertido.


O objetivo de cada fase é derrotar inimigos e destruir blocos, para coletar cristais derrubados por eles e conseguir ativar o teleporte para a próxima fase. Para auxiliar os jogadores, ao iniciar uma nova partida, é possível escolher uma dentre várias habilidades, como teleporte para um local aleatório da tela, recuperação de vida e diversos outros.
As habilidades possuem vários efeitos diferentes.

Jogatina tradicional

Testei o jogo com um joystick de Xbox 360. Enquanto o direcional esquerdo movimenta o personagem, o direito controla a mira, que indica a direção das armas primária e secundária, ativada pelos botões LT e RT respectivamente. Além disso o botão LB ativa a habilidade especial escolhida no começo do jogo, enquanto que o RB ativa uma habilidade específica dependendo do tipo de equipamento utilizado. Ao jogar com teclado e mouse, os botões WASD movem o personagem e o mouse controla a mira e os tiros.
 
Os inimigos derrotados têm chance de deixar cair peças de equipamentos, que ao serem coletadas, podem ser utilizadas entre cada fase para melhorar seu personagem. Algumas delas aumentam ou diminuem o HP, a quantidade máxima e a recuperação da energia para usar armas e habilidades, a velocidade de deslocamento, entre outros parâmetros. Elas se classificam em três tipos que alteram a habilidade específica, como um deslocamento rápido momentâneo em equipamentos do tipo dash, um escudo no tipo fortress, e uma rajada de tiros no tipo rampage. Cabe ao jogador escolher as partes que mais combinam com seu estilo.
Os inimigos deixam cair equipamentos que podem utilizados.
Além desses equipamentos, também há diversas armas que podem ser coletadas e usadas, que se dividem em tipos como bullet, laser, granade, close range, entre outros. Além da diferença óbvia entre os tipos, armas dentro de uma mesma categoria podem se provar bastante diferentes, então nem sempre a troca é tão simples. Algumas vezes, apesar de uma delas ter características melhores, o jogador pode perceber que a anterior se comporta de maneira mais de acordo com seu estilo, ou então que, apesar de uma delas ser mais poderosa, utiliza energia demais e pode esgotá-la, o que deixa o personagem indefeso por um breve tempo. Duas armas podem ser utilizadas ao mesmo tempo, o que permite experimentações e estratégias.
As informações ajudam, mas não revelam tudo sobre cada arma.

Diversão local

NeuroVoider pode ser jogado por até quatro pessoas localmente. Ao jogar com amigos, se pelo menos um sobreviver até o fim da fase, é possível passar à próxima e os derrotados são revividos. Algumas das habilidades escolhidas no início do jogo são claramente voltadas à jogatina mutiplayer, o que dá opções interessantes, como um jogador com equipamentos tipo fortress e habilidade para atrair tiros inimigos por um tempo. Segundo os desenvolvedores, não há planos para a implementação de um modo online, mas admite que é uma possibilidade a ser considerada depois da parte principal estar pronta.
Até quatro amigos podem jogar localmente ao mesmo tempo.

Otimizações ainda são necessárias

Apesar da simplicidade do estilo e dos gráficos, o framerate se provou instável mesmo com poucos inimigos na tela. Com o meu processador Core i7 e minha placa de vídeo GTX 980, isso não era algo que eu esperava. As músicas combinam com o jogo, e os efeitos sonoros, apesar de não serem ruins, são todos temporários e serão trocados na versão final.
 
Ainda em estágio alpha, os desenvolvedores atualizam o jogo semanalmente, com novas opções e balanceamentos, além de correção de bugs. Estes são os itens prometidos pelos desenvolvedores para a versão final: inclusão de chefes, diferentes cenários, progresso ramificado, tutoriais e cutscenes. NeuroVoider está no caminho para se tornar uma ótima opção para passar o tempo com amigos, apesar de não oferecer opções realmente novas.

Revisão: Alberto Canen
Capa: Daniel Serezane
Leandro Eidi Umezu Batista escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais